Em poucas palavras

Steve Jobs se tornou um ícone e o reflexo do amor por consumo de produtos. Para muitos, a Apple é o seu grande trunfo (e é mesmo), mas muitos veem sua compra da Pixar em 1985 como uma nota de rodapé da sua grande conquista. O que a maioria das pessoas não sabem é que a Pixar começou como uma companhia de computação gráfica, com um computador físico a venda! Longe de ser a famosa produtora de filmes como conhecemos, Steve viu a tecnologia deles como um caminho para começar a competir com a Apple naquele momento.

A história completa

Como todos já sabem, em 1985, Steve Jobs foi chutado da empresa que ele ajudou a criar, a Apple. Sua visão para a companhia não se alinhou com os seus diretores. Steve tomou essa derrota para o fundo do seu âmago e quis voltar rapidamente para o ramo da criação de produtos tecnológicos. No mesmo ano ele foi apresentado para Ed Catmull, e Ed foi o pioneiro da computação gráfica que guiou a CGI moderna na TV e nos cinemas. Os dois na verdade inicialmente não atacaram esse segmento. Ed foi um gênio criativo e Steve um empresário ego-maníaco que já possuía uma grande riqueza aos 30 anos.

Jobs viu o que poderia ser a próxima geração dos computadores high-end. Computadores esses que admitidamente eram caros, mas faziam tarefas que outros computadores não poderiam realizar. Enquanto isso, Catmull e um apunhado de engenheiros criaram realmente um computador high-end completo para executar o trabalho que eles precisavam e o apelidaram de “Pixar”.

Ao contrário da riqueza de recursos que temos hoje, a ideia de que computadores poderiam criar imagens digitais incríveis era desconhecida em 1985. Então Jobs caiu dentro e comprou o que era na época, a divisão de computação gráfica da LucasFilm, por U$ 5 milhões de doletas, o que na verdade é uma grande quantia de dinheiro para um pequeno grupo de pessoas com alguma tecnologia avançada. Steve Jobs se esforçou para fazer o computador da Pixar ser vendável em uma escala que pudesse competir com os produtos premium da Apple.

O problemas foi que o computador da Pixar era muito caro, quase U$ 10.000,00 doláres (lembre que estamos nos anos 80), a viabilidade desse mercado era extremamente pequena. Um pouco mais adiante, Jobs começou uma pequena empresa chamada NeXT, e a Pixar seguiu adiante para se tornar a empresa que todos nós conhecemos hoje.

Obviamente, Steve Jobs continuaria com coisas muito maiores e melhores, mas ficou como membro do conselho da Pixar até que ela foi finalmente  vendida para a Disney em 2006.

Show me the proof.

Comente aí ;)

Comentários

COMPARTILHAR
Luis Fernando é escritor e administrador no Papo de Nerd. Ele se concentra em física, ciência, tecnologia, games e séries. Luis tem bacharelado em Engenharia Elétrica e MBA em Engenharia e Manutenção, além de diversos cursos (incluindo cursos técnicos) voltados a área de engenharia e tecnologia. Apesar de trabalhar diversas horas por dia em sua vida cotidiana, consegue algum tempo para se manter atualizado e gerar bom conteúdo para o Papo de Nerd. Atualmente para o seu hobby, ele possui um Moto Z Play e um PS4 Slim.